O número 12 é um plágio bíblico? - Parte 2

1/11/2016 03:22:00 PM Gabriell Stevenson 0 Comments



4. O número 12 é o mais importante número na Bíblia?

É bom que fique claro que o número doze não é o mais especial na Bíblia, nem o único a possuir significado profundo. Existem outros números na Bíblia que são igualmente ou talvez até mesmo mais importantes que o 12. Como, por exemplo, os números 3 e 7.

O número 3 possui grande importância na cultura cristã por representar a trindade santa: o Pai, o Filho e o Espírito Santo, que juntos formam um único Deus. Ele também é usado para a identificação dos propósitos de Jesus: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida...” (Jo 14.6). E também para os propósitos do diabo: “O ladrão vem senão para roubar, matar e destruir...” (Jo 10.10). E, as vezes, como número ideal para se investigar algo: “...a fim de que toda a questão se resolva pela decisão de duas ou três testemunhas.” (Mt 18.16); que se repete em II Co 13.1: “...Por boca de duas ou três testemunhas será confirmada toda a palavra.”

O 7 é quase que sempre usado como número perfeito, ou ideal: “...Senhor, quantas vezes devo perdoar a meu irmão, quando ele pecar contra mim? Até sete vezes?” (Mt 18.21) Também usado para simbolizar as 7 manifestações do Espírito Santo (Ap 3.1; 4.5; 5.6). Também 7 foram as ultimas palavras de Jesus na cruz após ter se sentido sozinho e desamparado[1].

Além destes, outros números também são corriqueiros, como o 2, 4, 6, 9, 10, etc.

Mas, ao analisarmos bem a Bíblia e a cultura judaica, percebemos que tal escolha de números não possui indicações supersticiosas, mas de revelação, significado, esclarecimento e ensino. Os números eram muito usados pelos judeus, principalmente para se memorizar as Escrituras e também passar um ensinamento de forma a se chegar ao fácil entendimento, compreensão e memorização de algo.

Por exemplo. Quando Mateus fala a respeito da genealogia de Jesus (Mt 1.1-17) ele usa uma escala de base 14, pulando alguns nomes propositalmente[2]. Na cultura judaica isso não havia problema, pois era usado esse tipo de sistema para melhor memorização de um texto.

Uma vez que os judeus eram um povo de cultura oral, é fácil compreendermos a frequente utilização de números e até de rimas; porém a oralidade sempre presente não exclui o fato de que os judeus também tinham o costume de escrever suas historias; acontece apenas que até que a imprensa fosse inventada[3] a oralidade se constituía como principal meio de passar as histórias adiante, em centenas de culturas.

5. Para que servem os números na Bíblia?

Assim, quando Deus usa números em suas revelações é para, primeiramente, facilitar a compreensão do seu povo a respeito de algo e proporcionar a nós a rápida identificação do cumprimento de alguma profecia, independentemente de seu grau de importância e amplitude, ou a rápida e precisa compreensão de algum ensinamento.

Do mesmo modo, o Senhor Jesus também usou aquilo que se via na natureza e no dia-a-dia das pessoas (pássaros, árvores, frutos, luz do dia, sal, lâmpadas, ofícios, etc.) para poder passar seus ensinamentos; isso era perfeitamente natural para muitos mestres em diversas partes do mundo: ilustrar a mensagem com objetos, sons, imagens ou números comuns no dia-a-dia das pessoas a quem se pretende ensinar ou revelar algo.

Nada disso pode ser tomado como plágio. É ridículo pensar assim.

Compreendendo tais coisas, podemos prosseguir para as comparações feitas entre a Bíblia Sagrada e outras culturas pagãs, na tentativa frustrada de desmerecer as Escrituras, acusando-as de serem um “plágio”.

Continua... aqui!


REFERÊNCIAS:
[1] GotQuestions. Quais foram as sete ultimas palavras de Jesus Cristo na cruz e o que significam. <http://goo.gl/ugXIBt>
[2] BÍBLIA. Português. Bíblia de Estudo Defesa da Fé. Versão Revista e Corrigida. CPAD: 2010. Comentário bíblico de Mateus 1.17, P. 1472.
[3] Wikipédia. Imprensa. <https://goo.gl/TtGkyS>