Os deuses egípcios andavam sobre as águas, ou navegavam sobre elas?

3/02/2016 08:36:00 AM Gabriell Stevenson 0 Comments


Sumário:
1. Introdução
2. Os deuses egípcios andavam sobre as águas?
3. Por que Jesus andou sobre as águas?

1. Introdução

A parte da história de Jesus onde ele anda por sobre as águas é conhecida pelos cristãos e por muitos não cristãos. Tal relato pode ser lido em Mateus 14.23-34, Marcos 6.45-52 e João 6.16-21. Muitos críticos, então, tentam comparar esse feito milagroso do Senhor Jesus com o mito de Hórus e Rá viajando pelos céus durante o seu “percurso noturno”. Mas será que realmente podemos dizer que os deuses egípcios andavam literalmente sobre as águas?

2. Os deuses egípcios andavam sobre as águas?

De acordo com a mitologia egípcia, tudo no mundo, incluindo os deuses egípcios primordiais que personificavam diversos elementos da natureza, surgiu das águas primordiais; ou emergiu[10]. Sendo assim, alguns entendem que, quando Hórus, ou Rá viajavam sobre os céus, eles estariam, na verdade, “andando sobre as águas”, já que tudo veio da água. Porém, Hórus, assim como Rá, e vários outros deuses, são sempre retratados navegando sobre as “águas celestiais” em "barcos solares", mas nunca andando, literalmente, sobre elas:


Contudo, em The Book of Hades (Livro do Hades), é encontrada a seguinte referência que por vezes é usada pelos céticos:

Rá disse-lhes: Levantai as vossas cabeças, banhistas, movam-se os seus braços, vocês que flutuam, batam rápido suas pernas, nadadores, respirem pelas narinas, mergulhadores! Sejam mestres de suas águas, repousem vocês mesmos em seu tanque, andem em Nun, movam-se sobre a água. [2, p. 126]

Geralmente encontro essa referência na forma editada, dando a entender que é Rá quem “anda em Nun”, mas na verdade é Rá quem diz aos banhistas, nadadores e mergulhadores: “andem em Nun”.

Nun, ou Nu, são as águas abismais ou primordiais, o oceano universal que deu origem a todas as coisas, segundo a mitologia Egípcia. Então, de fato, aparentemente existiam seres que possuíam a habilidade de “andarem em Nun”, andarem nas águas. Mas vale salientar que tais seres eram criaturas aquáticas, como pode ser percebido pelo texto.

Sendo criaturas sobrenaturais/divinas aquáticas, fica lógico que eles teriam habilidades específicas quanto ao elemento água, como se erguer e andar sobre ela. Mas a mesma habilidade é vista na história de diversos seres como, por exemplo, as ninfas aquáticas[3]. Não necessariamente tais mitologias se espelharam ou plagiaram uma a outra.


3. Por que Jesus andou sobre as águas?

O fato de o Senhor Jesus ter andado sobre as águas (Mt 14.23-34; Mc 6.45-52; Jo 6.16-21) não prova que tal episódio foi uma cópia fajuta de antigos mitos pagãos.

Se analisarmos bem o relato bíblico em que Jesus anda sobre as águas e a compararmos com as histórias desses banhistas, não veremos nenhuma relação, a não ser o único fato de andarem sobre as águas[4].

É interessante, neste ponto, lembrarmos que quando o Senhor Deus lançou suas 10 pragas contra o povo egípcio (Êx 7.14-11.12), Ele o fez no intuito de humilhar as divindades egípcias e mostrar que o seu poder era superior[5], bem como ferir o orgulho do faraó. E este não foi o único caso em que fez isso. Há também outros exemplos, como a destruição da estátua de Dagom, que foi derrubada duas vezes diante da arca da aliança, tendo por fim sua cabeça e braços quebrados (I Sm 5.1-8).

(1ª Imagem: As dez pragas do Egito; 2ª Imagem: Estátua de Dagom destruída)

Do mesmo modo, o Senhor Jesus operou milagres diversos para mostrar que Ele é quem realmente era capaz de operar tais coisas, em detrimento de outras (falsas) “divindades”, e também para provar sua própria natureza divina (Mc 2.7-12). É de se esperar que o Deus criador tenha controle sobre a criação (Jo 1.1-3). Enquanto que se acreditava que os “banhistas”, “nadadores” e “mergulhares” na cultura egípcia possuíam certos poderes, o Senhor Jesus possui todo o poder nos céus e na terra (Mt 28.18).

Se pensarmos que alguns dos milagres de Jesus também estão associados com a humilhação de algum deus pagão, mesmo que indiretamente, e sua própria exaltação, podemos considerar que o fato de Jesus andar sobre as águas (e até mesmo de apaziguar a tempestade) mostra-nos como Ele diminuiu e humilhou conhecidos deuses greco-romanos como o deus grego Poseidon, chamado Netuno pelos romanos, uma divindade associada ao controle das águas.

Enquanto que os gregos e romanos achavam que eram suas “divindades” feitas de pedra quem controlavam as marés e tempestades, e poderiam até mesmo se locomover sobre as águas, Jesus demonstrou que Ele é quem tinha o real poder.

Texto: Gabriell Stevenson


REFERÊNCIAS:

[1] Antigo Egito. O Mito da Criação. <http://goo.gl/pKDUwA>
[2] Records Of The Past, Vol. 10. The Book of Hades, Cap. 11. <https://goo.gl/Z0QYmA>
[3] Wikipédia. Náiade. <https://goo.gl/ZGg4tk>
[4] Templo de Apolo. A Barca Solar de Rá. <http://goo.gl/LTfpyW>
[5] Bíblia Online. O que representavam as 10 pragas do Egito e quais são os deuses que estão relacionados com elas? <http://goo.gl/6AgsxL>