2 testemunhas não bíblicas sobre a escuridão ocorrida na crucificação de Jesus

6/28/2016 06:27:00 PM Gabriell Stevenson 0 Comments


Sumário:
1. Introdução
2. Talo
3. Phlegon

1. Introdução
De acordo com os evangelhos de Marcos (15.33) e Lucas (23.44), chegada a hora sexta, quando Cristo já estava crucificado, houve uma grande escuridão nos céus. Mas será que podemos ter a confirmação histórica deste acontecimento fora dos escritos do Novo Testamento? Vejamos.

2. Talo
Talo foi um historicista samaritano que escreveu em grego koinê, possivelmente entre 50 e 55 d.C. Sabemos isso em função da menção de Julio Africano, Lactantius, Teófilo, Tertuliano, Justino Mártir e Flávio Josefo.

Infelizmente, nenhum dos seus escritos sobreviveu ao tempo. Tudo o que sabemos sobre ele e sua obra provêm de outros escritores (como os já citados).

A partir de Júlio Africano, sabemos que Talo mencionou a escuridão que cobriu a terra durante a crucificação de Cristo. Segundo Africano, Talo teria registrado esse fato como um evento cósmico, observe:

“Talo, no terceiro dos seus livros que escreveu sobre a história, explica essa escuridão como um eclipse do sol (...)” [1]

É interessante notarmos que, ainda que um fenômeno natural tenha sido atribuído como a causa dessa escuridão mencionada por Marcos (15.33) e Lucas (23.44) nos evangelhos canônicos, um dos fatos bem intrigantes da história de Cristo parece ter sido aludida até mesmo por aqueles que se recusavam a acreditar nela.

3. Phlegon
O profº Yamauchi também nos lembra de uma citação interessante feita por Paul Maier sobre esse período de escuridão, em uma nota de rodapé do seu livro sobre Pôncio Pilatos (1968):

“Esse fenômeno, evidentemente, foi visível em Roma, Atenas e outras cidades do mediterrâneo. Segundo Tertuliano (...) foi um evento "cósmico" ou "mundial". Phlegon, um autor grego da Caria, escreveu uma cronologia pouco depois de 137 d.C. em que narra como no quarto ano das Olimpíadas de 202 (ou seja, 33 d.C), houve um grande "eclipse solar", e que "anoiteceu na sexta hora do dia [isto é, ao meio-dia], de tal forma que até as estrelas apareceram no céu. Houve um grande terremoto na Bitínia, e muitas coisas saíram fora de lugar em Nicéia” [2]




REFERÊNCIAS:
[1] MACDOWELL, Josh, Evidências que exigem um veredito, Cadeia, 1992, p.107
[2] STROBEL, Lee. Em defesa de Cristo, Vida, 2001, p. 86